Você se coloca no “sapato” do outro?

By 4 de fevereiro de 2015 Combustível One Comment

POST Sapato– Por Aline Angusso –

A incrível virtude de se colocar no lugar do outro, independentemente se esse outro tem nossa simpatia ou antipatia. Segundo o dicionário, empatia é a capacidade de compreender o sentimento ou reação da outra pessoa, imaginando-se nas mesmas circunstâncias.

Acho linda a expressão americana que resume a arte da empatia da seguinte forma “put yourself in someone else`s shoes”, sua tradução literal seria “colocar-se nos sapatos do outro”, ou seja, vestir-se do outro, experimentando sua realidade tal como ela é, e assim, perceber onde o calo do outro aperta.

Seu sapato pode ser o lindo scarpin de uma empresária de sucesso que abre caminhos para tantos terem prosperidade; pode ser a botina árida de um oficial que defende seu país com patriotismo; pode ser o mocassim excêntrico de um cantor que sintoniza sua plateia numa vibe maravilhosa; pode ser o tênis gasto de um atleta que, apesar de tudo, não desiste da meta; pode ser o chinelo simples de alguém que sem seu esforço físico não teríamos fartura à mesa; pode ser a sapatilha de uma bailarina que encanta o público e faz com que todos se sintam tão leves quanto seus sublimes gestos; pode ainda ser o sapatênis de um contador que mantém tudo dentro da correção da lei e quer o melhor para a iniciativa pública e privada; pode ser o confortável “crocs” de um cirurgião que sabe o valor da vida e se dedica a salvá-la por horas e mais horas a fio; pode ser a sandália de uma moça que  trabalha de dia, estuda de noite e mesmo com todo o cansaço, segue na marcha, por um futuro melhor.

O difícil nessa vida é andarmos descalços, com os pés no chão, confiando que as pedras do caminho não irão nos machucar e nem que os galhos irão nos cortar,  só os humildes e despretensiosos o conseguem.

Mas acima de tudo o importante é enxergar que existem pés dentro dos sapatos, assim como existe um coração dentro de cada peito, e um mundo dentro de cada mente. Logo, será que não seria urgente…

Olhar o que o outro olha, e ver além das aparências.

Ouvir o que o outro ouve, e escutar mais do que palavras.

Sentir o que o outro sente, e empatizar para com este.

Muitas vezes, tomamos decisões baseadas apenas no nosso próprio ponto de vista e na nossa vontade, e perdemos a oportunidade de avaliar o todo de determinada situação, perdendo-nos em nosso egoísmo, que não nos permite viver a vida em sua Plenitude e proporcionar isso aos demais companheiros de jornada no Planeta Terra.

Num mundo cheio de situações absurdas, justificadas por um fanatismo infundado, política imoral ou ainda desigualdades extremas, parecemos estar vivendo em uma panela de pressão, prestes a chegar ao colapso, será que não cabe mais sentimentos de empatia e atitudes altruístas em nossa rotina?

Refletirmos duas, três e até mil vezes mais, nos colocando no lugar do outro, com suas mazelas e misérias, antes de expressarmos nosso ponto de vista? Será que, avaliar mais, antes de exprimir nossos sentimentos mais primitivos e passionais? Colocando mais amor e compaixão, criando espaço para a empatia florescer, e assim termos passos mais firmes e pés mais preparados para rumar a um futuro mais fraterno? E quem sabe, todos calçados, não com sapatos, mas com confiança?…

Leia também: Conexão e Nosso olhar

 

Author Aline Angusso

"Paulistana, espiritualista, canceriana, yoguini, ex-lutadora de boxe e eterna lutadora pela alegria, poliglota, apaixonada por músicas e mantras, alucinada por make-ups, aspirante à escritora, secretária executiva por descoberta"

More posts by Aline Angusso

Join the discussion One Comment

  • Sandro Fernandes de Alencar disse:

    Olá Aline, gostei muito do seu texto. Para refletir e agir..contagiando a todos que nos cercam…gerando energias positivas para um mundo melhor!!!

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!