O poder da Escolha – competição ou abundância?

O poder da Escolha – competição ou abundância?

By 14 de outubro de 2015 Combustível 2 Comments

– Por Mariana Bonato –

Empreendedores são criadores de sua realidade, assim como todos os seres humanos. Então por que não usar a possibilidade de criação e inovar semeando realidades positivas e produtivas para o Todo? Somos ensinados a ideia de escassez e competição. Será que ela é real?

Uma boa imagem é pensar em seu corpo; se você tem uma doença que afeta seu pé, pela lei natural ela irá afetar o restante de seu corpo! Já estamos percebendo como este corpo todo chamado mundo já está sentindo as diversas doenças causadas pelas nossas ações. Todo movimento é uma via de mão dupla que influencia e é influenciado pelo todo.

Pensando em movimentos seria interessante levar este entendimento para nossas ações, nossos movimentos traduzidos em Ato nas NOSSAS EMPRESAS, por exemplo. No ambiente de trabalho existe um conceito enraizado de competição, onde a empresa compete com seus concorrentes, cada colaborador compete com os colegas de trabalho, imaginando que está em uma corrida de quem é o MAIS qualificado, MAIS competente e por aí vai. O clima competitivo dentro de uma empresa em outro momento foi considerado produtivo e até mesmo desejável, porém neste momento é percebido através de ferramentas utilizadas internamente e da percepção da qualidade de vida no trabalho, que os colaboradores sofrem com este funcionamento e inclusive a produtividade da empresa fica comprometida. Muitas vezes isto gera um desconforto tão grande que cada pessoa da equipe de trabalho passa a assumir uma posição de “culpar” os demais. Isto acontece de forma geral, entre todos os cargos e ocupações. Percebemos então o movimento de contaminação, como se fosse uma doença que toma conta do corpo e a pessoa não percebe por atribuir sempre seus sintomas ao que acontece fora de seu corpo e não dentro.
Quando acreditamos que “vencemos” alguém, significa que estamos atendendo a uma gratificação egóica, pois acreditamos ter “vantagem”. Porém, se meu companheiro de trabalho não conseguir estar pleno em sua atividade e se sentir integrado, junto à equipe e inclusive junto a mim, não há possibilidade de meu trabalho ser bem realizado. Pois se somos todos Um único organismo, meu trabalho e meu propósito deve sempre estar alinhado com o propósito do Todo, da saúde do Todo.

O que dificulta um pouco esse entendimento sobre sermos realmente UM é que somos ensinados a assumir a função de consumidores, somente consumindo recursos e energias sem disponibilizar ou reabastecer. Além de consumir coisas e recursos, estamos canibalizando o Todo consumindo uns dos outros. Consumimos energia alheia, tempo, vida.

Se assumirmos que algo está fora do natural e voltarmos às leis da natureza como referência, perceberemos o conceito de troca, onde cada indivíduo tem seu papel e não retém nada mais do que precisa. Este conceito é válido para tudo na vida. Posso trocar boas ideias, possibilidades, ações e recursos em todos os contextos que participo, inclusive no trabalho, sem prejuízos, e melhor ainda, percebendo os benefícios do COMPRATILHAMENTO. Na natureza o que retém em excesso morre ou é substituído. Esta é a lei, o funcionamento natural!

Somos todos nossos próprios remédios e médicos quanto a esta “doença” que nos induz a reter, a ter medo da escassez. As nossas escolhas são poderosas e podem quebrar padrões desse funcionamento. A tomada de consciência, ou melhor, a escolha por viver mais consciente diante do Todo é de cada um. Todos somos capazes. Todos nós temos algo a COMPARTILHAR.

E quer saber um segredo?
Se você compartilha e é o primeiro em seu circulo de relações a fazer isto, você pode começar a contaminar as pessoas. Quem compartilha começa a provocar outras pessoas a compartilhar. É puramente uma questão de escolha. Não tenha medo de compartilhar pois é certo que o retorno virá, você receberá a troca.

As escolhas nos ajudam a entender, passo a passo, como e onde nossos talentos se encaixam para fazer um mundo melhor. Esta é a ação que deve direcionar o ser humano e funcionar como guia para o empreendedor. Todos têm o maior e melhor poder de todos: a ESCOLHA!

Faça algo! Se alinhe com a SUA direção!

Rumi diz algo fabuloso; “devemos sempre suspeitar do que desejamos”. Este pode ser um início. Suspeitar dos próprios desejos, nos observando mais de perto. Observar como nosso Ego se relaciona com eles pode ser um pontapé inicial para ampliar nossa consciência sobre nossas escolhas e o poder que elas têm.
Você pode escolher pensar em escassez, mas também pode escolher pensar em abundância. Você pode escolher reter, mas também pode escolher COMPARTILHAR.

Espero que através de minhas escolhas por estas palavras possa lhe ajudar a revelar o caminho do seu coração ou até fazê-lo bater mais forte pelo seu caminhar no Agora!

Compartilho com você o que outrora foi compartilhado comigo!

Leia também: O Empreendedorismo e o Ego, Refigiar é preciso

Volume I
Next Post

Author Mariana Bonato

Psicóloga e Consultora, criadora da RDH Ressignificando Desenvolvimento Humano. Vive em meio a movimentos intensos guiados por sua imensa curiosidade quanto as experiências humanas. Acredita que a vida pode ser leve e sonha em provocar as pessoas através da idéia-movimento “Amor Muda Humor”

More posts by Mariana Bonato

Join the discussion 2 Comments

  • Elaine Alves disse:

    o texto é muito bom… o ensinamento que ele traz é o que o futuro aguarda de cada um de nós, mas devo confessar que a frase que mais me deixou pensativa foi: “devemos sempre suspeitar do que desejamos” – Rumi, foi realmente algo novo vindo de fora pra dentro, mas algo que já havia “suspeitado” que podia tornar a minha vida diferente. Parabéns pelo achado.

  • carolreiss disse:

    Ameeeeeeei esse conteúdo!
    O empreendedorismo não pode deixar o ego influenciar nas decisões.
    A maior parte dos empreendedores são bastante materialistas, egoístas e trabalham mais que o considerado ‘normal’ em muitas horas por dia, assim, desgastando a saúde e a energia que poderiam ser equilibradas com experiências/atitudes que realmente importam.

    Graças a Deus existe a “Espiritualidade” presente em nossas vidas 

    Sucesso, turma!!! ^^

Deixe uma resposta para carolreiss Cancelar resposta