Os níveis de consciência

By 13 de agosto de 2014 Combustível One Comment

– Por Wilson GonzaGa –

Aos longo da vida nós experimentamos diversas experiências que nos fazem gerar valores e julgamentos sobre nós mesmos. Eu gosto de classificar esses momentos da vida de “níveis de consciência”, pois nota-se uma ordem de desenvolvimento, uma espécie de passo a passo das pessoas que buscam a evolução pessoal e espiritual.

O primeiro nível é aquele onde vivemos uma vida COMUM e nos sentimos igual a todo mundo, nada nos difere, nada nos faz especial. Nesse ponto, a pessoa que não está com auto estima preservada está propensa a se achar menos que os outros, e naturalmente se inferioriza e se desvaloriza.

Chega um determinado momento que chamo de “lapidar da vida” e é nesse crescimento continuo, nesse ajuste, nesse ato de polir a pedra bruta, que nós damos um outro salto e passamos a nos considerar COMO UM. Essa fase se caracteriza pelo individualismo, quando o ego ecoa mais forte. Tendemos a nos achar diferente de todo mundo, nos achamos especial, talentosos, únicos.

O COMO UM é um degrau acima da escada do COMUM, e o perigo é que a pessoa está sujeita a se achar melhor do que os outros, o que torna a vida uma grande ilusão. Nos dois casos, quando nos achamos piores ou melhores do que os outros, estamos totalmente iludidos. Mas claro, se você tiver que escolher entre uma dessas ilusões, opte por se achar melhor, assim pelo menos você fica mais feliz! Rs…mas lembre-se: é uma ilusão, é passageiro, dura apenas uma fase!

O terceiro e último degrau da escadinha da vida é o nível do COM O UM. Esse nível significa estar com Deus, se sentir parte do todo, somar para o todo e ser grato por tudo isso.  Nesta fase meu queridos, temos a possibilidade de enxergamos que somos especiais, não somente eu, mas todo mundo. É nesse nível que nasce a consciência da solidariedade, da comunidade e do bem comum. Quando se fala em comunidade, bens públicos em países desenvolvidos os valores são totalmente contrários aos daqui. Aquilo que é comum, público, é de todo mundo e assim todos zelam pelas coisas. Mas no nosso querido país infelizmente aquilo o que é publico não é de ninguém. Se é do governo não é de ninguém, mas a consciência deve ser prezar o que é do governo, pois se é do governo, é de todo mundo. Comece sendo solidário com pessoas mais próximas, depois ao pessoal da rua, do seu bairro e essa consciência do bem tem o poder de crescer rapidamente e tomar proporções fantásticas. Ah, não esqueça de expandir esta fase do COM O UM as riquezas gratuitas e naturais que esse mundo nos proporciona diariamente. Retribua e ajude sendo COM O UM.

Pense nisso meu cumpadre, pense nisso minha cumadre.

Um grande abraço e um cafuné na sua alma.

Você vai gostar de ler também:

Pilote seu pensamento

Questão de atitude!

Author Wilson GonzaGa

Médico-Psiquiatra e Psicoterapeuta é diretor do Instituto Hermes de transformação humana, profundo conhecedor da alma, tem a capacidade de entender a realidade e as necessidades dos indivíduos e unificar a linguagem psicológica à empresarial. Dono de uma risada inconfundível é entusiasta do desenvolvimento do ser humano e da celebração a vida.

More posts by Wilson GonzaGa

Join the discussion One Comment

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!