fbpx

Aumente o Volume! Latinoamérica

Hà alguns meses atrás recebi este vídeo do Bruno Gomes,  um grande amigo que viaja o mundo vivenciando culturas, trocando experiências, transformando em inspiração para as coleções da Pipe Content House, uma marca com alma. Fiquei encantado com a música e inspirado com os locais e povos que apareceram no clipe.

Além da produção ser fantástica, a mensagem gera reflexão,  por mais obvia que pareça:

“Você não pode comprar o sol
Você não pode comprar chuva
Você não pode comprar o calor
Você não pode comprar as nuvens
Você não pode comprar as cores
Você não pode comprar minha alegria
Você não pode comprar as minhas dores””

Só entendi a atmosfera da canção quando viajei para o Peru e vivenciei momentos inesquecíveis, de um lado a pobreza, casas inacabadas por todos os cantos e estradas precárias, do outro lado pessoas com sorriso e simplicidade, roupas coloridas, natureza exuberante e muita música, em cada canto surgiam 4 peruanos com suas flautas, tambores e violão, mas tudo isso não é exclusivo do povo peruano, em qualquer lugar de gente simples, tem sorriso, música e prazer em receber pessoas de outras culturas, o que me chamou atenção foi o extremo respeito e interação com a natureza que aquele povo tem, durante toda a viagem, foi lindo ver o amor e  a gratidão a Pacha Mama, mãe natureza. Tirando passeios indescritíveis como Machu Picchu, Cuzco, Águas Calientes um que marcou fomos recebidos por  uma família em uma ilha flutuante no lago Titicaca – Puno, passamos 2 dias na Isla de Uros, uma ilha feita de totora, espécie de capim, material usado para confecção de artesanato , brinquedos, construção de embarcações, casas e suplemento alimentar, por ser rico em vitaminas. Durante todos os momentos havia a  parceria homem/natureza , uma situação que retrata o respeito foi quando saimos para a pesca, na ida e na volta folhas de coca eram jogadas na água para agradecer a mãe natureza pelo alimento. Seres humanos vivendo em harmonia com a terra sem a preocupação em parecer ecologicamente correto, sustentável ou amigo da natureza, eram assim gratos, respeitosos e dependentes da Pacha Mama.

Em algum momento perdemos esta conexão com o natural e arrisco dizer que foi culpa do homem, que vive em “estado de posse”, sempre querendo comprar o que não está a venda.
Este poema de Carlos Drummond de Andrade retrata bem esta situação.

 

Mais músicas e viagens aos nossos dias!

[module type=a category=”” amount=”4″ ]

 

Author Rodrigo Borges

Ócio Criador do Folga na Direção. Criativo por natureza, músico por vocação, ator por educação e empreendedor por diversas razões. Formado em Marketing e Agronegócio.

More posts by Rodrigo Borges

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!