fbpx

Caronas que Inspiram – Felipe Cabral – Estaleiro Liberdade

Felipe Cabral é sócio-fundador da Engage e realizador do Estaleiro Liberdade. Apaixonado por desenvolvimento humano,  pesquisa quais são as ferramentas que podem aumentá-lo e acelerá-lo. Ciclista urbano, aikidoka e velejador, curte uma preguiça com seus gatos em casa.

Conte um pouco sobre sua vida: trajetória, formação, trabalho.
Minha história profissional é cheia de “malas que vem pelo trem”, ou serendipidades bem interessantes. Mas o ponto de virada foi 2009. Ano em que finalmente aprendi a andar de bicicleta, conheci a minha esposa e fui convidado a fazer parte da Softa – que anos depois veio a se tornar a Engage.

Estudava administração, após ter abandonado os estudos em ciências sociais e ter dedicado muitos anos para a prática de Aikido. Trabalhava com implementação de ISO 27001 pela manhã e ISO 9001 a tarde. Tinha 30 minutos para me deslocar entre os escritórios e almoçar. Tudo isso dentro de um terno.

Em um belo dia, o Daniel Weinmann, que hoje também responde como um dos fundadores do Catarse, me convidou para fazer parte da Softa – eu seria a sexta pessoa do time. Demorei uma semana inteira ponderando se deveria mesmo abandonar o caminho de reconhecimento e sucesso que eu tinha criado para mim. Por fim, optei por trabalhar com pessoas que tinham valores intrínsecos alinhados com os meus. Não importa para fazer o que. Hoje eu não me arrependo nem um pouco. Felipe Cabral

Cada fundador da Engage merece uma história só pra si, não vou estragar com spoilers aqui. São nove no total.
Lá eu aprendi muito sobre empreendedorismo, autogestão, desenvolvimento pessoal… Mas nos meus primeiros dias lá o Daniel me apresentou dois livros como fundamentais para entender o que faríamos com a Softa. Um deles era o livro do Ricardo Semler – e o que mais me encantou foi a história da criação da Lumiar. Existia uma pesquisa sobre pedagogias para o desenvolvimento de autonomia dos indivíduos. Eu estava em casa.

Naquele ambiente de confiança, criativade, esforço, pesquisa e produção eu tive espaço e apoio para ir até o fundo da questão que sempre esteve comigo: Como as pessoas se sentem fortes o suficiente para realizarem seus planos. Com o tempo eu concluí o Audax 200km, me casei com a Elisa, e tive muito apoio para realizar o Estaleiro Liberdade. Felipe Cabral

felipe_cabral_3

Como equilibra o trabalho e vida pessoal?
Não equilibro. Elas se misturam, se confundem e se retroalimentam. A primeira viagem internacional da minha vida ocultava visitas a escolas não-tradicionais, eu morei 30 dias na Suécia e visitava escolas afim de entender como elas trabalham a questão de desenvolvimento pessoal.

Meu ambiente de trabalho é o lugar onde encontro os meus amigos e meus finais de semana são cheios de atividades com colegas de escritório. Devo admitir que a Casa Liberdade, onde fica o Estaleiro Liberdade, não é um lugar comum. Mas basicamente é isso.

Algumas vezes eu apenas viajo. Principalmente quando consigo uma carona de veleiro para algum lugar do mundo. Mas todas elas também são encaradas como uma maneira para que eu me torne um marinheiro melhor. Ainda quero me tornar um marinheiro indispensável para qualquer capitão que queira um marinheiro de qualidade.

Mas isso não quer dizer que eu não tenha momentos de ócio. Eu os cultivo com muito carinho.

estaleiro

De que forma acredita que o Estaleiro Liberdade contribui para a vida das pessoas?
Eu tenho a crença que o Estaleiro Liberdade gera uma consciência sobre os processos que estamos inseridos – principalmente no trabalho – e verifica se eles estão alinhados com os valores pessoais de cada um. E se houver distância entre prática e o idealizado, se desenha a estrada que deve ser trilhada para viver da maneira que realmente se quer viver. Não é fácil, requer diversos ajustes, mas isso faz parte do processo. A vida tem disso.

Você já fez alguma escolha que acredita ter mudado completamente o rumo da sua vida?
Ter abandonado o caminho do administrador, consultor em processos talvez tenha sido a melhor decisão da vida.
Ter iniciado a prática de Aikido me ensinou mais coisas sobre mim do que é possível explicar. E possivelmente toda tomada de decisão consciente que eu tomei me fez ir a lugares não imaginados, mas todos muito frutíferos.

Se você tivesse 5 minutos de atenção do mundo todo para um recado que acha fundamental para a humanidade, qual seria?
Pediria para que olhassem alguém que tivesse algum conflito. Que olhasse para os olhos dessa pessoa e se perguntasse se odeia aqueles olhos, que olhasse para as orelhas dessa pessoa e se perguntasse se odeia aquelas orelhas, que olhasse para a boca dessa pessoa e se perguntasse se odeia aquela boca, que olhasse para o nariz dessa pessoa e se perguntasse se odeia aquele nariz. E por fim, se nenhuma das partes individuais daquela pessoa te traz ódio, porque a pessoa inteira provoca esse sentimento?

Temos uma leitura da realidade através dos nossos sentimentos. E essa é uma base de grande sofrimento por não vermos as coisas como parte do todo.Então o que eu diria, seria algo como: Quer viver esse sentimento que está sentindo? Porque? Já tentou ver as mesmas coisas de maneiras diferentes para ver se esse sentimento sobrevive?

Ou alguma coisa assim :)

Felipe_cabral2

O que gostaria que estivesse escrito em sua lápide, quando você encerrar a sua vida neste plano que vivemos? Moral da sua história.
Nada, não quero lápide. Sempre invejei o Lutzemberger que foi enterrado pelado, sem caixão. E também não sei se toda história tem moral…

Compartilhe conosco um filme, livro ou artigo que inspire sua vida.
Acho que essas inspirações fazem sentido em momentos específicos na vida das pessoas. Mas tem um que tem mexido muito comigo ultimamente, e os efeitos ainda são duradores: O caminho do Zen, Alan Watts.

Conheça as incríveis histórias de Flavia MelissaGuilherme Lito e Karina Miotto

 

Author Roberta Martiniano

Empreendedora, Designer em Sustentabilidade pelo Gaia Education, gerente de projetos, publicitária, filha de artista, reikiana, aquariana, yoguini, viciada em viagens e música, ama meditação e espiritualidade. Carioca de coração, e totalmente apaixonada pela dupla sol e mar!

More posts by Roberta Martiniano

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!