fbpx
Independência

Independência

By 2 de janeiro de 2015 Combustível No Comments

– Por Aline Angusso –

Querido Leitor e Amada Leitora, eu espero que vocês tenham tido excelentes festas de final de ano, que tenham aproveitado intensamente a companhia da família, dos amigos e sua também, além da proposta  de união do Natal e de recomeço do Ano Novo.

Hoje, convido vocês a refletir a respeito de independência, acredito que, muitos de nós, quando pensamos nessa palavra, logo nos vem à mente aquela imagem de autossuficiência, de liberdade e de plena autonomia, talvez até venha aquele conceito de não precisar de absolutamente ninguém para nada, e que assim seríamos mais fortes e felizes… será? Eu, particularmente, duvido que alguém possa ser feliz sozinho, e não digo apenas de ter as pessoas queridas por perto, nos auxiliando em nosso crescimento, mas também aquelas que desconhecemos o rosto, mas que sem o seu trabalho, não viveríamos.

Vou pegar um exemplo que meu professor de história gostava de nos dar: “ Todos nós nos achamos muito independentes, não é mesmo? Que não precisamos de ninguém…mas quantos não se sacrificam por nós? Imaginem pois, que existem diversas pessoas que passam  seus dias sem ver a luz do sol para nos atender em serviços de infraestrutura, como esgoto, transporte, logística… logo, somos independentes? Acredito que não, afinal temos uma interdependência para com essas pessoas, e elas por sua vez, para conosco, pois elas também necessitam da nossa dependência em relação ao seu trabalho.”

Agora vamos olhar por um prisma mais sutil, quando dependemos afetiva e emocionalmente do outro, já que em qualquer relacionamento podemos construir essa dependência, que se mostra claramente quando dependemos do aplauso de outrem para nos sentirmos satisfeitos; quando dependemos do outro ter finalizado sua parte no trabalho da faculdade, para prosseguirmos com a nossa, e geralmente isso gera uma baita dor de cabeça e impaciência; quando dependemos de um trem para chegarmos pontualmente num compromisso; quando dependemos do “ sim ” de terceiros para dar andamento a uma negociação e gerar mais oportunidades.

Tudo isso faz parte da nossa relação com os outros e quanto mais conscientes e verdadeiros com nós mesmos, menos nos deixamos influenciar pelas armadilhas do domínio alheio. Mas estaríamos também atentos aos nossos algozes internos? Precisamos aperfeiçoar a  independência de nós mesmos, dos nossos papéis, dos nossos rótulos, dos nossos pensamentos, dos nossos vícios mentais, pensamentos nocivos ou até mesmo aquele excesso de otimismo que não nos deixa ver a realidade como ela é. Por isso te pergunto, você consegue se ver dissociado de suas expectativas, de suas ilusões e até mesmo, de seus sonhos?

Esse texto surgiu, porque outro dia fui a um estabelecimento qualquer e encontrei a moça da limpeza praguejando seu serviço, sussurrando e maldizendo a todos, imaginei que ela não gostasse de sua ocupação e lamentei por ela, pedi para que ela não se sentisse mais mal com aquilo que fazia e espero que ela consiga mudar de vida e fazer algo que lhe dê prazer. Porém, logo em seguida, vi a mesma postura em um homem muito bem vestido e nervoso com a planilha em seu laptop, a raiva tomava conta de seu rosto, suas mãos trêmulas apontavam para a tela e palavrões eram ditos, logo o vi no mesmo isolamento que a moça da limpeza, também pedi por ele.

Não havia ali independência, estavam ambos tão identificados com sua raiva, com sua mal querência, que haviam ficado cegos e não viam que era só uma questão de respirar e mudar a chave do feitiço dos maus hábitos que nos submetemos, pois nós temos o poder dessa independência daquilo que pensamos, sentimos e falamos, para melhor moldar o nosso agir perante à vida. Não digo que seja fácil, mas acredito que nossa vida vai se tornando mais e mais difícil à medida que deixamos esses pensamentos, palavras, atitudes agressivas irem adentrando em nossas vidas.

Então meu amigo, minha amiga, eu peço por todos nós, para que nesse 2015, possamos tomar as rédias de nossas vidas e sermos realmente independentes, não apenas no aparente e material, mas também no sutil, que sejamos cada vez mais independentes, inclusive de nós mesmos.

Leia também: Eu tenho a força!, Conexão, Nosso Olhar

Author Aline Angusso

"Paulistana, espiritualista, canceriana, yoguini, ex-lutadora de boxe e eterna lutadora pela alegria, poliglota, apaixonada por músicas e mantras, alucinada por make-ups, aspirante à escritora, secretária executiva por descoberta"

More posts by Aline Angusso

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!