fbpx
Nosso olhar

Nosso olhar

By 30 de setembro de 2014 Combustível 8 Comments

– Por Aline Angusso –

Tudo é uma questão de olhar, não é mesmo? A maneira como encaramos o mundo faz com que a nossa vida vibre numa sintonia X ou Y… E o nosso olhar mais humano, onde está quando nos deixamos influenciar pelas nossas identificações com as ilusões transitórias do mundo corporativo? Afinal quem não quer chegar à presidência da empresa que ama? Ou à liderança de uma área que considere vital? Quem não quer ter destaque, sucesso e êxito em todos os desafios apresentados?

Agora, enquanto isso, onde está focado o nosso olhar? Ele está perdido na multidão de uma palestra para nos tornarmos mais qualificados para preencher currículo? Ou ainda, está ele tímido, olhando para baixo, quando ao adentrarmos no elevador com um monte de colegas estranhos ao nosso habitual círculo e que não ousamos trocar essa energia? Ou nosso olhar está carente quando necessitamos da aprovação do nosso chefe, seguido do tapinha nas costas, já nos empurrando para o cumprimento imediato da próxima tarefa? Ou estaria indiferente à toda engrenagem que nos ajuda a ter sucesso ou  a  simplesmente executarmos o nosso trabalho?

O nosso olhar está agradecido a todas as oportunidades maravilhosas de expressarmos nossa humildação em reconhecer que sem o outro nada somos? Afinal sem a “tia da limpeza” o ambiente ficaria impróprio para circulação, sem o barista você não teria aquele pique extra por causa do café preparado com savoir-faire, sem o pessoal da manutenção você não teria uma mesa decente, sem a gentileza da ascensorista você não chegaria com fôlego ao seu andar, sem o porteiro você não entraria no prédio. Sem a força de vendas a empresa nem existiria e sem o pessoal da auditoria essa organização não teria a salubridade contábil para continuar funcionando.

Enquanto sua mente viaja com a minha em tantas pessoas, profissões e invenções para agradecer, por onde vagueia seu olhar? Naquela promoção que você ainda não conseguiu, e seu colega sim, por quê agora não seria a vez dele, ao invés da sua? Seu olhar estaria ainda mais preocupado com aquele colega ou chefe de difícil trato e o quanto isso te irrita e acaba com seu dia e noite de sono? Por quê não abrir mão da sua opinião e pegar emprestado os óculos deles para enxergar por meio de outras lentes uma mesma paisagem?

Por exemplo,quando seu chefe pede para você refazer aquele relatório que já havia te dado tanto trabalho, qual é o seu olhar natural? Seria o olhar da braveza e da impaciência por ter de repetir aquela atividade ou seria o olhar que enxerga uma nova oportunidade de fazer um trabalho melhor e se surpreender com um novo conhecimento? Quando você vê que seu colega mais novo fala um idioma muito melhor que você, você apenas cobiça seu conhecimento ou busca compartilhar do mesmo, aumentando assim sua proficiência e a dele? Quando uma reunião te parece entediante,você aproveita para ter qualidade meditativa e focar naquele assunto para subtrair o máximo possível de informações, e consequentemente, somar mais eficiência à empresa ou se mantém perdido na sua mente, que está em todos os lugares, como em casa, na faculdade, na próxima atividade, nas suas férias, menos ali?

Muitas vezes as lentes de nossos óculos estão apenas empoeiradas pelos furacões do dia-a-dia, para isso basta lavá-las. Já se estamos presos aos insucessos do passado, temos dificuldade de enxergar o presente momento e vemos com embaço o futuro adiante. Se estamos com muita expectativa, gerando aquela ansiedade incansável, ficamos tontos e nossa visão fica toda turva e embaralhada, tão pouco temos uma clara visão por onde seguir. E quando estamos já tão contaminados pela nossa frustração e nossa identificação com tudo aquilo que é passageiro, podemos ter riscado não nossos óculos, mas sim ferido nossa visão, daí precisamos de um especialista para curar e buscar dentro da gente uma nova forma para se reestabelecer e enxergar tudo isso.

Não importa se seus óculos são aquelas lupas importadas caríssimas ou ainda sejam bastante simples, se você usa porque são de grau ou se os veste apenas para fazer modinha, tirar uma onda… o importante é que eles protejam sua visão do Sol ou te façam enxergar melhor na neve, para que você possa ver além, e que sustente a qualidade de uma visão para o maior nos outro e em você mesmo, portanto… onde está o seu olhar, meu amigo? Para onde olha, minha amiga? E além de olhar, tú vê alguma coisa?

Leia outros textos das nossas colunistas: Refugiar é preciso, O poder da respiração

Author Aline Angusso

"Paulistana, espiritualista, canceriana, yoguini, ex-lutadora de boxe e eterna lutadora pela alegria, poliglota, apaixonada por músicas e mantras, alucinada por make-ups, aspirante à escritora, secretária executiva por descoberta"

More posts by Aline Angusso

Join the discussion 8 Comments

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!