fbpx

Refugiar é preciso!

By 28 de agosto de 2014 Combustível No Comments

– Por Mariana Bonato – 

Qual o sentido desta palavra pra você? Seria uma questão de sobrevivência? De sanidade?

Infinitas são as possibilidades de resposta! Segundo o dicionário:

Refúgio:S. m. Lugar para o qual se foge para escapar a um perigo.

Independente da motivação que provoque a busca por um refúgio o fato é que a busca existe e em algum momento será acessada.

Somos rodeados de estímulos o tempo todo e tudo o que acontece a nossa volta interfere e dialoga com nosso interior, com nossas questões cotidianas e existenciais. Estamos permanentemente em movimento.

A necessidade de refúgio pode estar ligada à necessidade de observar tais movimentos de forma mais cautelosa, com mais esmeroe em uma velocidade reduzida. Desta forma possibilita um ritmo próprio, independente das realidades inventadas pelo homem, como Mercado de Trabalho e Mercado de Consumo (entre outras realidades e universos).

É clara e inevitável a mudança no funcionamento destas realidades. O Consumo, o trabalho e os universos particulares passam por ressignificação a cada segundo, a cada movimentação individual ou coletiva.

Se o mundo está girando, saindo do lugar a cada passo da caminhada, é compreensível  à necessidade de recuo, de uma condição de observador que provoque outras percepções além daquelas que já aprendemos. Trata-se de recuar diante do perigo da automatização.

  • Automático: adj. Que opera sem a participação da vontade.

Penso que a condição de refugio nos proporciona uma relação diferente com os pensamentos, com a mente e com a ação. Uma relação diferente com o ontem, o hoje e o amanhã. Um mergulho no infinito universo que somos. Na condição do mergulho interno, o externo se revela.

“Vemos fora o que somos dentro e percebemos que existe dentro o que vemos fora.”

Se não nos conectamos com esta percepção o fora parece ser outro, um outro diferente de mim, separado e distante.

O refúgio nos revela as conexões, a integração do caminhar individual com a caminhada da humanidade e nos possibilitam a condição de perceber, de estudar, de observar, de desenvolver e de Ressignificar. Mostram facetas que às vezes não acreditamos ter, mostram capacidades, luz, sombras, leveza, simplicidade…

Observar simplifica e refugiar para o exercício da observação é de grande importância e gera uma renovação constante. Um exercício de transformação. O refugio inclusive das verdades que criamos pra gente. Das nossas certezas que devem ser questionadas.

Você também vai gostar de ler sobre: Felicidade sim!, Vulnerabilidade, Meditação Vipassana

Author Mariana Bonato

Psicóloga e Consultora, criadora da RDH Ressignificando Desenvolvimento Humano. Vive em meio a movimentos intensos guiados por sua imensa curiosidade quanto as experiências humanas. Acredita que a vida pode ser leve e sonha em provocar as pessoas através da idéia-movimento “Amor Muda Humor”

More posts by Mariana Bonato

Gostou? Então deixe aqui seu comentário!